Fone: +55 11 3031 0980|E-mail: contato@fitbank.com.br

A revolução digital já provocou expressivas mudanças de paradigma nos serviços de transporte, saúde, hospedagem e em outros setores da economia. No âmbito do mercado financeiro, esta revolução atende pelo nome de open banking!

A lógica deste sistema é simples.Quaisquer dados pessoais – inclusive os bancários – pertencem ao cidadão, correto? Mas, no âmbito do sistema financeiro, o usuário se sente “preso” ao banco ao qual é correntista. Todas as operações precisam ser feitas naquela instituição – saques, depósitos, transferências, empréstimos e investimentos – e qualquer tentativa de migrar de banco é sempre trabalhosa.

O open banking subverte esta engrenagem e devolve ao contribuinte o poder sobre seus dados bancários. Com maior autonomia, é possível escolher mais de uma empresa para cuidar de seu dinheiro, dependendo dos pacotes e serviços mais vantajosos. A migração de prestador de serviços é simplificada e, assim como sua rede de contatos e suas mídias sociais, sua vida financeira fica “à mão” para ser alocada da forma que melhor lhe convier.

Se tudo isso lhe parece muito distante, fique sabendo que o open banking já funciona em vários países e está prestes a sair do papel aqui no Brasil. O Banco Central acaba de abrir consulta pública para receber contribuições da população – o canal segue aberto até o dia 31 de janeiro de 2020.

Como funciona?

Baseado na premissa de que é necessário preservar os sigilos fiscal e bancário, o sistema financeiro nacional blinda os dados do cidadão e os entrega tão somente para a instituição com a qual o cliente deseja estabelecer relacionamento.

No open banking, alguns dados básicos ficam disponíveis dentro de uma plataforma adaptável, caso o cidadão assim autorizar. Isso é possível graças a uma tecnologia conhecida por API (já traduzida para interface de programação de aplicativos).

Nós já nos beneficiamos muito das APIs, sem saber: é o caso dos aplicativos de localização, por exemplo, que podem ser incorporados a diferentes sites e mídias sociais porque possuem seus códigos abertos.

Naturalmente, essa possibilidade pode assustar, por causa da segurança desses dados. No entanto, o setor financeiro é um dos líderes em soluções de segurança já que um vazamento de informações sigilosas seria avassalador para a credibilidade de qualquer empresa.

Não por menos, já ouvimos falar de vazamento de dados provenientes de governos e mídias sociais, mas raramente sabemos de ocorrências do tipo envolvendo empresas de tecnologia financeira.

Ainda assim, aqueles que não se sentirem confortáveis em aderir ao novo sistema poderão manter seus dados em poder das instituições bancárias convencionais sem autorizar sua abertura.


O tamanho da revolução

Imagine só poder aplicar seu dinheiro em fundos de investimento de mais de uma instituição, sem necessidade de pagar taxas por descumprimento da fidelização. Já imaginou, por exemplo, investir e desinvestir de acordo com o humor do mercado, sem a burocracia da intermediação? Melhor ainda: movimentar dinheiro sem a necessidade de usar aplicativos ou sites de bancos?

Essas são apenas algumas das funcionalidades do open banking, que oferece ainda mais possibilidades para as pessoas jurídicas.

“As pessoas sempre precisarão de serviços bancários, mas não necessariamente precisam do banco todo empacotado. O Open Banking deve trazer essa liberdade ao cidadão de consumir somente o necessário e pelo canal que melhor lhe servir, agregando informações ou serviços aos seus dados bancários. Essa abertura vai melhorar a competição e a eficiência dos serviços financeiros, trazendo benefícios começando pelas pessoas físicas que tem menos poder de negociação individualmente.”diz Rodrigo Pina, Head de Produtos do Fitbank.

Algumas modalidades de plataformas digitais são voltadas exclusivamente para micro e pequenas empresas. Com absoluto controle sobre informações cadastrais e tributárias, o usuário consegue controlar seus gastos sem a figura do gerente de PJ, bem como exportar esses dados de acordo com a conveniência da conjuntura e da competitividade do mercado financeiro.

Continua achando tudo isso muito inovador? Tem razão! Inovação é a palavra de ordem na aliança cada vez mais definitiva entre tecnologia e sistema financeiro. O FitBank tem muitas dessas soluções e pode ajudá-lo a deixar para trás o método analógico de cuidar do próprio dinheiro.

Assine a newsletter do FitBank e fique por dentro das novidades do mercado financeiro e de tecnologia. É rapidinho.