Fone: +55 11 3031 0980|E-mail: contato@fitbank.com.br
Conta escrow dá segurança a médias e grandes transações

Conta escrow dá segurança a médias e grandes transações

Entre os principais fatores que inviabilizam o fechamento de alguns negócios está a insegurança de que os termos – principalmente financeiros – serão cumpridos.

É para evitar receios como esse que existe a conta escrow, altamente difundida fora do Brasil, e que aos poucos começa a ser incorporada na rotina das médias e grandes empresas brasileiras.

Como o próprio nome sugere, a conta escrow funciona como uma espécie de garantia, que dá segurança para transações de várias naturezas: aquisições e fusões de empresas, negociação de títulos, contratos, recebíveis, compras de grande montante, comércio eletrônico estabelecido com vendedores de outros países, entre outras modalidades.

O responsável pelo pagamento deposita o valor combinado nesta conta e aguarda todos os termos do contrato ser cumpridos. Após a checagem de que tudo foi atendido a contento, o intermediário responsável pela conta escrow libera o pagamento.

Este formato hoje é muito utilizado em grandes aquisições de empresas. Isso porque tais processos são lentos, e às vezes surgem novos passivos no caminho que não estavam no contrato original.

Para evitar que a adquirente herde esses passivos, o valor original do acordo fica “congelado” na conta escrow.

Mas, aos poucos, a necessidade de uma garantia é observada em outros tipos de transação.

Nas operações de recebíveis por exemplo, algumas empresas, por não depositarem seus pagamentos em contas de terceiros por compliance, depositam os valores em uma conta escrow, deixando o valor disponível para o antecipador do recebível.

Quem pode ajudar?

Cada vez mais integradas à rotina financeira das empresas no Brasil, as fintechs detêm as engrenagens necessárias para atuar como depositárias das grandes negociações.

Isso porque possuem maior inteligência tecnológica e, por conta disso, maior capacidade de acompanhamento por parte dos interessados. Em outras palavras, enquanto nos bancos o dinheiro fica retido em uma caixa preta, nas fintechs a transparência impera em todas as etapas da negociações.

No FitBank, chamamos esta funcionalidade de Smart Escrow, por conta de uma série de vantagens: a primeira delas é a garantia da neutralidade, essencial em acordos desta envergadura. A flexibilidade operacional é outra característica – por aqui, o gestor dos recursos tem total autonomia, controle e entendimento a respeito de sua rotina financeira.

A rastreabilidade e a conciliação de todos os recebíveis – sem burocracia, perda de tempo e sustos de última hora – completam o pacote de possibilidades das contas escrow.

Tudo isso com a chancela de quem já movimentou mais de R$ 2 bi em transações financeiras somente em 2019.

 

 

Síndicos, Administradoras e Condôminos: o que muda com as novas tecnologias financeiras?

Síndicos, Administradoras e Condôminos: o que muda com as novas tecnologias financeiras?

Estima-se que o mercado de administração de condomínios movimente um valor superior a R$ 60 bilhões anualmente. São mais de 6 milhões de unidades condominiais e não é difícil imaginar a criticidade da operação do dia a dia de tudo isso.

O gerenciamento de cobrança e pagamentos dessa verdadeira fortuna, por exemplo traz uma série de desafios para as administradoras de condomínios, síndicos e condôminos, tais como o acompanhamento de todas as rotinas de cobrança e pagamentos, prestação de contas e a garantia da execução do processo financeiro com agilidade e segurança.

No modelo bancário atual que carrega consigo sistemas legado há inúmeros complicadores que dificultam a operação financeira do dia a dia do mercado de administração de condomínios, um dos maiores complicadores é a assimetria de informações ocasionada pela relação entre o banco e a administradoras, impactando diretamente no dia a dia dos síndicos, administradoras e condôminos.

A administradora de condomínio é a empresa que assume a responsabilidade todo o processo de cobrança e pagamentos do condomínio, já o síndico é o responsável por todo o condomínio inclusive respondendo civil e criminalmente, sendo o síndico na maioria das vezes um indivíduo que exerce uma atividade paralela em sua vida da qual ele escolheu voluntariamente com o intuito de dedicar-se em prol do seu condomínio.

A assimetria de informações impacta diretamente na rotina destes dois agentes, no que tange a administradora a gestão financeira dos condomínios, cobrança e pagamentos ficam suscetíveis a vulnerabilidades, fraudes e processos manuais que demandam tempo e dinheiro. Inclusive, quando se trata de fraudes, o mercado imobiliário é vulnerável assim como em todos os mercados onde não há transparência nas informações, onde há margem para que pessoas mal-intencionadas se aproveitem dessa assimetria de informações para tirar proveito próprio assombrando o dia a dia de todos com golpes, fraudes, desvios e erros.

Estes fatorem também afetam diretamente a relação entre os síndicos e condôminos que por sua vez gostariam somente de ter certeza que seu patrimônio está sendo cuidado responsavelmente, com a necessária diligência que através das novas tecnologias bancárias não terá de se preocupar, pois essa situação potencialmente problemática tende a ser eliminada.

Os principais questionamentos que permeiam o mercado a administração de condomínio estão principalmente relacionados a garantia de execução dos processos relacionadas a cobranças e pagamentos como: Será que está tudo certo? Será que os pagamentos realmente foram feitos? Será que o dinheiro do condomínio está sendo bem cuidado?

Perguntas normais como essas, apesar de habituais, geram um grande stress na relação dessas três entidades. A desconfiança e a dificuldade em deixar as informações absolutamente claras acaba contaminando a relação da vasta maioria das administradoras e síndicos honestos e sérios. Eles acabam se vendo numa posição de fragilidade visto que se as informações não são claras, lembrando que sempre poderá aparecer algum condômino questionando o processo e exigindo uma comprovação que na maioria das vezes é extremamente difícil por conta da assimetria de informação, ocasionando um fator de desgaste nessa relação. E o stress pode surgir a qualquer momento.


Modelo passado

Há alguns anos atrás, a base da relação entre administradoras, síndicos e condôminos na questão financeira de pagamentos e recebimentos era a confiança e reputação, e em alguns outros casos, a desconfiança em que cada parte tenta se proteger como pode, e a relação pode ficar bastante desgastante. Mesmo estando certos em alguns casos, tanto a administradora quanto os síndicos podem demorar alguns dias para esclarecer o assunto, criando um período de desconforto para todas as partes.

Além do aspecto da assimetria de informações, a segurança também é comprometida com as metodologias do passado principalmente pelo processo de pagamentos ser manual e suscetível a falhas, fraudes e desconfianças da garantia de execução do processo como um todo.

Conexão plena com o ambiente financeiro

Dadas as tecnologias atuais, esse stress todo já não tem mais porque acontecer. A partir do momento que o ambiente financeiro está integrado ao dia a dia do condomínio, muita coisa muda.

Em primeiro lugar, a troca de arquivos com bancos é eliminada. Erros, atrasos e dificuldades com a conciliação não existem num ambiente de open banking.

As novas tecnologias permitem ainda que o síndico tenha visibilidade online dos pagamentos sendo efetuados e até mesmo autorize previamente, caso seja do interesse da administradora e/ou do síndico. Além de haver a disponibilização de extrato online, aprovação de pagamentos, visualização do documento e contratação de serviços e seguros, tudo online, na palma da mão.

Além disso, a falta de pagamento por parte do condôminos por falta de informação não irá mais ocorrer, pois além do processo normal de envio da cobrança, os condomínios passam a se valer de lembretes, e-mails, confirmações eletrônicas e até o acompanhamento da abertura dos e-mails de cobrança. Claro, a conciliação dos pagamentos é automática e com informação online.

Atividades extras como aluguel de salão de festas, churrasqueira ou até mesmo eventuais multas, podem ser realizadas diretamente de um aplicativo, de forma totalmente integrada à conta do final de mês.

Todos esses aspectos já estão revolucionando a indústria de administração de condomínios. A tecnologia já existe e está em franca expansão no mercado, levando enormes benefícios para esta indústria gerando benefícios operacionais e redução de custos oferecendo uma maior capacidade de gestão e escalonamento.

O ambiente de open banking para administradoras é a solução para a garantia de execução, segurança e agilidade no processo de gerenciamento financeiro em larga escala que permeiam o mercado imobiliário.

O futuro vai premiar os bons, e dificultar a vida daqueles que praticam atividades ilícitas. As empresas passarão a ser mais reconhecidas por todo seu trabalho, os síndicos ficarão mais confortáveis com o dia a dia, e os condôminos terão certeza da transparência na gestão dos recursos.

E então, leitor? Quer conhecer mais sobre essa prática? Entre em contato com o nosso time e conheça um pouco mais sobre o que preparamos para você.